fbpx

Educação Pública – O bom gestor público escolhe prioridades

Gerir recursos públicos de forma responsável e com escolha de prioridades que beneficiem a população que mais precisa do poder público, é o que se espera de um bom Gestor.

Ao verificamos que na cidade de Barra Mansa-RJ o Prefeito Rodrigo Drable prioriza o pagamento de quase 1 milhão de reais para ministrar aulas de Xadrez, em uma contratação eivada de suspeitas (Termo de Colaboração nº 02/2019/SME), chegamos à conclusão que suas prioridades são outras.

E quando fazemos essa colocação não estamos alheios à importante contribuição do jogo de xadrez para o desenvolvimento do raciocínio lógico dos alunos da rede municipal. A questão é que há outras prioridades na área de educação, e não são poucas, que preterem esse gasto de quase 1 milhão de reais.

Entre essas reais prioridades podemos citar, por exemplo, a valorização do profissional de educação, que teve a implantação do PCCS interrompida pelo atual governo.

Como esperar que a rede de ensino responda à contento quando o profissional de educação não vê perspectivas, nem mesmo a médio prazo, de reconhecimento profissional? Lembramos que uma das primeiras medidas do atual governo de Barra Mansa foi revogar a lei que instituiu as eleições para Diretor de unidades escolares da rede municipal, possibilitando assim contemplar seus aliados políticos.

Não podemos aceitar o emparelhamento político da edução de Barra Mansa. Este procedimento só vem a contribuir para a piora do ensino público municipal o que impacta diretamente em toda a sociedade, que só vê crescer dia-a-dia os índices de violência e as demais mazelas sociais em que deságua toda essa má gestão da educação.

Sou a favor da retomada da implantação do PCCS da Educação de Barra Mansa; da volta das eleições para Diretores de Unidades Escolares; do estudo para a criação de um abono de permanência diferenciado (Majorado) para a educação, frente à aposentadoria especial; a favor do investimento e apoio à especialização dos profissionais da educação; da reforma dos equipamentos de educação e da implantação, responsável e consciente, do estudo integral na rede municipal de educação observando as peculiaridades físicas das unidades escolares já existentes, verificando se comportam ou não essa nova realidade.

Depois do “dever de casa” feito é que o Gestor poderá pensar em avançar em outras questões, de forma responsável.

Paulo Cesar Alves

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Iniciar chat
Entre em contato
Olá!
Podemos ajudar?